Prova de Assistente de Laboratório

UFMG - 2009
UFMG

Baixe provas e gabaritos 2

Veja também

Na íntegra

                                      CONCURSO UFMG 2009
                                      GABARITO DEFINITIVO
                                   CARGOS NÍVEL FUNDAMENTAL




                                                              QUESTÕES
            CARGO
                        1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33

ASSISTENTE DE LABORATORIO D D C B C B B D A A C C D D C B C B C C B B A B D A C B C C A C D

                                                                      QUESTÕES
            CARGO
                        34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65

ASSISTENTE DE LABORATORIO A B C A D A B C D B A C B D C A C B B A D C C A A B D C A D C A PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA

INSTRUÇÃO: As questões de 01 a 08 devem ser respondidas com base no TEXTO 1.

TEXTO 1

                                SARNA PARA SE COÇAR

1 A palavra estresse virou uma grande vilã dos tempos modernos. 2 Injustamente, eu diria - porque o estresse não é uma coisa só. Para começar, 3 deve-se separar o estresse (um problema a resolver) da resposta ao estresse 4 (as mudanças que o cérebro orquestra no corpo, e nele mesmo, para resolver 5 o problema). E como gostamos de um problema! A resposta aguda, imediata, 6 ao estresse - a atenção aumentada, a maior disposição, a mobilização de reservas 7 de energia e a sensação de força que vem com ela - tem tudo para ser uma grande 8 aliada, pois aumenta nossas chances de resolver o problema da vez. 9 Até a resposta dada agora ao problema de amanhã (o relatório a entregar, a 10 conta por pagar), mais conhecida pelo nome de "ansiedade", tem lá suas 11 vantagens: começando a nos preocupar agora, temos mais chances de nos 12 lembrar do problema a resolver e ainda ganhamos um tempo para pensar em 13 estratégias e alternativas. 14 O lado ruim do estresse surge quando, apesar de toda a preparação de 15 cérebro e corpo para resolver o assunto, o problema não some. Assim, o estresse 16 torna-se crônico: abusos físicos ou verbais, a falta de dinheiro que não se resolve, 17 a doença que não cede, a solidão. Nesses casos em que suas tentativas iniciais 18 falharam, o cérebro, sem controle da situação, muda de estratégia e, ao invés de 19 usar as reservas disponíveis, passa a armazená-las. Aqui, sim, a resposta crônica 20 ao estresse torna-se nociva, com acúmulo de gordura, hipertensão, desgaste

CONCURSO PÚBLICO UFMG/2009 PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA 1